Postagens populares neste assunto

33 Comentários. Deixe novo

  • Marcos Marcon
    Samuel de C. Lima
    23 jan, 2020 11:39

    Adorei a leitura. Objetiva e preciosa. Muito útil 👍🏽

    Responder
  • Gostei muito do seu comentário
    Hoje abri uma garrafa de pinot chileno, raiz de Chile No almoço e os aromas foram quase todos detectados acrescentei Carvalho Tanino e acidez moderadas.
    Na hora que vc citou exemplos de pinot Suzin e quintas das Neves pensei: é Catarinense.

    Responder
    • Com certeza! hahaha, sou catarina da gema. Tubarão/SC, pé da Serra. Mas não estou sendo bairrista nesse caso. De fato você pode perguntar pra qualquer sommelier ou enólogo, é opinião comum o Pinot da Quinta da Neve safra 2011 ter feito, talvez, o melhor Pinot nacional até o momento. Estamos a espera de um sucessor!

      Marcos.

      Responder
  • Acho só que você se esqueceu do Pinot Noir San Félicien da Catena Zapata…

    Responder
  • Achei muito legal as suas dicas, uma pergunta, o tipo espanhol não é uma boa escolha?

    Responder
  • Marcos Marcon
    Beatriz Leijôto
    23 set, 2019 12:27

    Obrigada Marcos, adoro Pinot noir mas não conhecia esses detalhes, valeu!!

    Responder
  • Marcos Marcon
    Alzenir Torres
    31 Maio, 2019 09:25

    Olá Marcos!!
    Sou uma iniciante no mundo do vinho e não conheço quase nada desse mundo fascinante e encantador que é o mundo dos vinhos, e a uva pinot noir me encantou com todas essas características.
    Obrigada por compartilhar seus conhecimentos.
    Um grande abraço!!!

    Responder
    • Marcos Marcon
      Marcos Marcon
      1 jun, 2019 03:43

      Eu quem agradeço, Alzenir!

      Foi uma das primeiras uvas que me chamaram atenção nos tintos, seguida pela Chardonnay nos brancos. É uma uva que muda drasticamente dependendo do terroir onde é plantada. Portanto, desbravar vinhos Pinot Noir é uma tarefa sem fim. Cada garrafa vai entregar algo novo e diferente.

      Espero que você curta a viagem!
      Abraço,
      Marcos.

      Responder
  • Marcos Marcon
    Joao B Genuncio
    1 Maio, 2019 03:05

    Países como Chile, Estados Unidos, Nova Zelândia e Brasil já começam a se destacar na produção deste tipo de vinho, fazendo com que o Pinot Noir seja vez mais conhecido pelos brasileiros.
    A palavra ‘cada’ – Pinot Noir seja CADA vez mais conhecida. ficaria mais claro, o texto.
    Li e gostei do texto todo. Muito esclarecedor quanto a origem, as cepas, os copos, as garrafazz. Tudo muito importante. Obrigado por essa ajuda para meu consumo.
    João Genuncio.

    Responder
  • Marcos Marcon
    MAURICIO DELLA BARBA
    9 mar, 2019 22:23

    Muito bom! Seus comentários são pertinentes e ajudam na escolha e entendimento. Sou novato e estou buscando a minha uva preferida. Gostei muito da Pinot. Mas ainda não entendi porque ela é meio “discriminada” nas rodas e confrarias de amigos. Why????

    Responder
    • hahahaha Mauricio, acredite, já passei pela MESMA fase que você. Eu acho que a Pinot tem várias desvantagens:
      1) é difícil de plantar, portanto, o que se acha acaba sendo meio caro;
      2) ela faz vinhos bizarramente diferentes dependendo das condições do terreno, da safra, da proposta do produtor. Um vinho pode ser extremamente frutado e outro pode ter uma puxada de aromas terrosos, cogumelos, que é uma maravilha. Pinot é de fato fascinante. Acho que vai uma vida pra desvendar os segredos dessa uva e por isso causa tanta fascinação.
      3) Outro motivo é que erroneamente, o povo acha que ela é uma uva “fraquinha”, “singela”. Esquecem que os melhores borgonhas são de Pinot. Esquecem que Champagne tem Pinot.

      Eu sou fãzaço de Pinot mas confesso: é um vinho difícil de se comprar. O último nacional que me surpreendeu foi o Quinta da Neve Pinot Noir 2011: https://www.decanter.com.br/quinta-da-neve-pinot-noir-2011-750ml

      Responder
  • Marcos Marcon
    Roberta Manata
    27 dez, 2018 01:50

    Adorei Marcos!!
    Assim como gostei muito de provar um Pinot noir e perceber suas qualidades.Ja virei fã desta qualidade de vinho.

    Responder
    • Pinot é uma das variedades mais enigmáticas de uva. Ela pode dar vinhos extremamente diferentes, dependendo da região e da proposta do produtor. Eu diria que é uma das mais difíceis de se conhecer, devido a falta de oferta pra nós, brasileiros…

      Responder
  • Marcos Marcon
    Edilson Benvenutti
    17 dez, 2018 23:43

    Achei bem interessantes e lúcidos os teus textos que descrevem características e curiosidades de algumas variedades de vinhos. Gostaria de seguir o blog.

    Responder
    • Obrigado Edilson! 🙂

      Basta assinar nossa newsletter que você vai receber nossas atualizações em primeira mão!

      Basta ir até o rodapé de qualquer página do blog, tem um campo para você deixar o nome e e-mail! 🙂

      Responder
  • Marcos Marcon
    Joyce Cristina
    8 dez, 2018 10:33

    Bom dia Marcos, adorei as suas dicas, são bem simples e objetivas ótimo para uma iniciante como eu. Já virei fã. Parabéns e obrigada

    Responder
  • Excelente artigo, ótimas dicas!

    Responder
  • Marcos Marcon
    Nelson Renato Tiellet
    23 nov, 2018 20:31

    Parabéns Marcos. Ajudou muito. Vou degustar um Tripantu Reserve Pinot Noir 2017.

    Responder
  • Estás corretíssimo Marcos, muito obrigada pela atenção!

    Responder
  • Bom dia Marcos,
    Parabéns pelo material da uva Pinot Noir, muito interessante mesmo!

    Agora a pergunta que a mim não quer calar: Qual seria a grande diferença entre a Pinot Noir da Borgonha, para a Pinot Noir produzida na Alemanha (região de Pfalz), já que esta variedade precisa de frio para se desenvolver?
    Me ajuda, por favor?

    Obrigada!

    Responder
    • Obrigado Raquel!

      Infelizmente nunca tive oportunidade de beber um Pinot alemão! Mas acredito que tenham dezenas de exemplares tão bons ou até melhores que alguns da Borgonha. Não um Grand Cru, mas dos Pinot “mortais”. Até a Serra Catarinense consegue fazer Pinot Noir de excelente qualidade. Vide o Ana Cristina da Villagio Bassetti e o Pinot Noir da Quinta da Neve. É uma uva realmente chatinha de produzir bons vinhos, mas com o cuidado e atenção ideal, conseguem sempre produzir vinhos de excelência. Eu acho que a grande diferença na produção de Pinot é o cuidado no manejamento da safra… Claro, terroir é essencial. Tanto quanto atenção e a “vontade” do produtor em fazer daquele, um grande vinho.

      Responder
  • Bom dia Marcos!
    Suas dicas são bem simplificadas, parabéns!!!
    Gosto muito .

    Responder
  • Marcos Marcon
    William Barbosa
    24 jul, 2017 11:23

    Apena por curiosidade, Marcos Marcon é da família Marcon de Andradas – MG ???

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu
Cadastre-se e Aprenda
Sobre Vinho Grátis!
Toda semana você recebe as melhores aulas e postagens de forma gratuí­ta no seu e-mail! Sem pagar nada por isso.
ASSINAR
Aproveite! Em breve nossos cursos serão exclusivos para assinantes!
close-link