As diferenças entre o vinho Malbec e o vinho Carménère

0

A variedade de vinhos existentes torna difícil escolher a melhor opção. Alguns escutam as recomendações de terceiros, outros de fato chegam a tentar vários sabores até escolher o seu preferido.

Crédito: Pura Wines.

Uma coisa que realmente pode ajudá-lo na hora de escolher um bom vinho é um pouco de conhecimento sobre o mesmo.

Por isso, separamos este artigo para falar sobre dois tipos de vinho bem populares, o Malbec e o Carménère.

Carménère

Desde a introdução da videira espanhola no século 16, o Chile passou a se tornar um dos produtores de vinho mais famosos do mundo.

Embora muitas vezes tenha sido ofuscado por seus competidores europeus, o vinho chileno cresceu gradualmente na popularidade atual e hoje está disponível na maioria das prateleiras dos supermercados.

Hoje, o Chile oferece mais de 20 diferentes tipos de uva, embora Cabernet Sauvignon e Merlot permaneçam os mais comuns.

Os agricultores chilenos também estão interessados ​​em experimentar diferentes uvas, e alguns agricultores estão crescendo as variedades Gewurztraminer e Viognier; No entanto, estes ainda não foram produzidos em grande escala.

Carménère ou Merlot?

Uma das maiores reivindicações de vinhos do Chile é o seu raro cultivo da uva Carmenere. No século 20, muitos especialistas em vinhos duvidaram dos vinhos chilenos que foram designados Merlot e Sauvignon Blanc.

Com o objetivo de chegar ao final disso, experts foram contratados para testar os vinhos e vinhas utilizados na produção.

Os resultados mostraram que o Merlot era, na verdade, uma antiga videira Carmenere que havia sido trazida da região de Bordéus e já havia sido considerada extinta, enquanto as vinhas do Sauvignon Blanc eram a videira de Sauvignonasse.

Desde então, os agricultores chilenos introduziram com sucesso as vinhas Merlot e Sauvignon Blanc, enquanto a França conseguiu reintroduzir a uva Carmenere.

Malbec

Malbec cresce praticamente em qualquer lugar. Você pode encontrá-lo na França, Chile, Brasil, Itália, Madeira, Portugal, Espanha, EUA, Austrália e Argentina, onde é a uva mais amplamente cultivada.

É uma uva de pele fina com bagas grandes, que necessitam de muita luz solar e calor para atingir a maturidade total. Ela prospera em solos bem irrigados e bem drenados, mas produz culturas desiguais em anos inferiores aos ideais e é susceptível a podridão em condições frescas e úmidas.

Malbec também é muito sensível à geada. Três “lóbulos” distintos caracterizam as folhas do Malbec, sendo o lobo central o mais longo. As bagas Malbec são grandes, escuras e redondas, com cachos grandes e soltos.

Malbec cria um vinho tinto intenso e cheio de tinta, frequentemente usado em misturas. Misturado com Merlot e Cabernet Sauvignon, Malbec faz a mistura de Bordeaux conhecida como claret. Uma mistura comum do Vale do Loire compreende Malbec misturado com Gamay e Cabernet Franc.

Outra mistura comum tem Tannat adicionado. O amor argentino por potentes vermelhos tornou a Malbec uma especialidade nacional. Os Malbecs do novo mundo amadurecem para dar taninos ricos e suaves.

Então, quais as diferenças entre o vinho Malbec e o vinho Carmenere?

Há uma série de diferenças entre esses dois tipos de vinho, por isso, vamos separar tudo em tópicos:

  • Cor: A coloração do Malbec é bem intensa, um vermelho escuro quase preto. Enquanto que a coloração do Carmenere é um vermelho cor de rubi, a depender do modo de maturação é bastante intenso.
  • Aroma: No geral, o aroma do Malbec lembra frutas vermelhas mas pode haver variações a depender do terreno onde a uva foi plantada e do local de origem do barril em que ele é conservado. O Carmenere também tem um aroma que lembra frutas vermelhas, sendo que quando é amadurecido na madeira, o aroma pode lembrar o chocolate ou até um charuto tostado.
  • Sabor: A principal diferença entre os sabores desses dois vinhos está nos taninos. Carmenere possui taninos mais suaves do que o Malbec.
  • Local de origem: Como já mencionamos, o Malbec é a especialidade na Argentina, enquanto que o Carmenere é uma especialidade do Chile. O que não quer dizer que tais vinhos não sejam produzidos em outros lugares.

Degustação as Cegas de um Malbec e um Carménère

Para aprender a diferenciar as duas uvas, você pode fazer um teste. Peça a um amigo – ou ao dono da sua loja de vinhos preferida – para separar dois vinhos de qualidade semelhante.

Um Malbec e um Carménère. Ele pode embalar os vinhos em papel pardo em em sacolas específicas para este fim, como a da foto ao lado.

Você pode fazer a brincadeira sozinho ou chamar os amigos. A segunda opção é sempre mais divertida, já que a opinião de alguns influencia e te deixa cada vez mais na dúvida. É um desafio a mais.

Antes de tudo, deixe que as pessoas avaliem os dois vinhos, e depois abra para discussão. É nesse momento que as coisas ficam interessantes.

Você vai perceber que nem sempre a tarefa é fácil

Se você tem amigos de diferentes níveis de conhecimento no muno do vinho, vai perceber que identificar as duas variedades – quando bem produzidas – pode ser difícil.

Eu fiz este teste recentemente. Os vinhos escolhidos foram similares ao mesmo estilo de teste que eu li em um blog americano. Escolhemos o Crucero Carmenere e o Malbec La Flor de Pulenta.

Como nós já suspeitávamos, ambos tinham aspecto e cor bem parecidos em taça. Um rubi-roxo forte, quase partindo para violeta.

O Malbec tinha uma tonalidade um pouco opaca, sem brilho, enquanto o Malbec era límpido e brilhoso. Ambos os vinhos tinham uma tintura forte, capaz de manchar um pouco da taça quando as lágrimas escorriam.

No nariz, ambos pareciam inicialmente semelhantes. O Carmenere tinha um defumado, que pode ter aparecido a partir de passagem por barrica.

Muita fruta vermelha e preta, como mirtilos. Já o malbec, tinha o a madeira mais pronunciada, com notas um pouco jovens – da fermentação malolática – e lembrava um pouco de ameixa.

A acidez de ambos os vinhos eram média e os taninos deixavam a desejar. Mas o Malbec ganhava com pequena diferença neste quesito.

Notas técnicas:

  • O Carmenere foi feito de uvas 100/5 cultivadas com fermentação em aço inoxidável e envelhecimento em carvalho francês por doze meses.
  • La Flor de Pulenta Malbec feita a partir de 100% de frutas da propriedade das videiras mais jovens e seis meses em barricas de carvalho francês neutro.

Conclusão

Agora você conhece um pouco sobre as histórias desses dois vinhos, bem como as principais diferenças entre ambos. Agora cabe a você, escolher o que mais lhe agrada para degustação.

Sobre o Autor

Enófilo certificado com mais de 7 anos de litragem. Fã do vinho nacional e entusiasta da ideia de que beber vinho não precisa de taça de cristal. Redator Especialista para Enocultura e Gastronomia.

Envie uma resposta

Mais vinho, por favor!

Assine
e receba
GRÁTIS
dicas sobre vinhos

Divirta-se com uma taça!
ASSINAR
close-link
ASSINAR O BLOG
Shares
Share This