Aprenda Mais Rápido!
Ficha de Avaliação de Vinhos
Receba agora nossa ficha e comece a avaliar seus
vinhos com os amigos de forma profissional!
Baixe agora. É grátis!
Quero receber a ficha de avaliação grátis!
Não, obrigado.

Vinho suave tem açúcar? Sim. Já partiremos desse ponto para saber um pouco mais da diferença entre o vinho suave e o vinho seco.

Desde que iniciamos as postagens aqui no blog, uma das perguntas que mais ouço, é sobre o famoso vinho suave. Os “vinhos de garrafão”. Eles são extremamente famosos, muita gente ainda os toma, e respondem por 90% da fabricação de vinhos do Brasil. Sejam secos ou suaves, esses vinhos simplistas ainda agradam boa parte do consumidor brasileiro.

Nós fizemos uma postagem explicando melhor a diferença entre o vinho fino e o vinho de mesa, e a diferença entre o vinho colonial e o vinho fino. Talvez você tenha interesse.

Vamos nos ater a diferença entre o vinho suave e o vinho seco

Esta é uma questão popular entre os iniciantes e curiosos no mundo do vinho. Qual a diferença, e como se faz o vinho suave?

Adição de Açúcar no VinhoPrimeiro, temos que entender o processo de transformação de açúcar em álcool. Para exemplificar, tomaremos como exemplo a cachaça.

Para você entender de forma fácil, a cachaça vem da produção da cana de açúcar. Nada mais é, do que a fermentação do açúcar até virar álcool.

Por um processo químico chamado de fermentação, todo açúcar tem potencial de virar álcool. É assim que o vinho é feito. A uva atinge uma maturação definida (ou seja, uma quantidade de açúcar), e então é colhida e entra para o processo de fermentação.

A adição de açúcar no vinho suave

Aqui a mágica começa, e é onde você precisa prestar atenção para entender a diferença entre o vinho de mesa suave e o vinho de mesa seco.

Quase todo o açúcar presente na uva vai virar álcool. Ou seja, em quase 100% dos casos, todo vinho, naturalmente, é seco. No Vinho de Mesa Suave, após o processo de fermentação, há adição de açúcar ao vinho, depois que ele fica pronto. Simples assim.

Vinho Suave ou Vinho Seco

Para ficar suave, o vinho recebe açúcar. Exatamente como você já deve ter feito com aquele vinho seco que o seu avô serviu quando você ainda era adolescente. Se você nunca o fez, provavelmente conhece alguém que já fez.

Em tese, colocar uma colher de açúcar no vinho seco, o torna um vinho “suave”. Ou seja, no fundo, o vinho suave é vinho adoçado com açúcar.

Existem exceções?

Pode ser que sim, mas elas são raríssimas atualmente, ou quase nulas. Em alguns casos, a uva pode ter uma maturação tão alta, ou seja, uma quantidade de açúcar tão alta, que parte se tornará álcool, e parte continuará açúcar (chamado de açúcar residual).

Nestes casos, teremos um Vinho de Mesa Suave, sem adição de açúcar. Tal fato é raro de acontecer, pois conseguir alcançar uma maturação com nível de açúcar alto é tarefa difícil.

A uva atinge um nível de maturação pleno antes de iniciar o processo de apodrecimento, porém, nem sempre esta maturação plena é suficiente para ter o açúcar necessário para formar um vinho suave “naturalmente”.

Além disso, para o produtor, vale  a pena colher as uvas antes de deixá-la muito madura, afinal, quanto mais tempo no vinhedo, mais riscos de perder a produção com fenômenos naturais, como granizo ou chuvas fortes.

Os vinhos finos chamados de sobremesa ou licorosos passam por processo parecido. São extremamente doce e não tem adição de açúcar. O famoso vinho do Porto é um desses casos.

Você já bebeu um vinho de garrafão?

Sangue de Boi

Este é um vinho de mesa – ou vinho colonial. Aos que bebem vinho fino, o Sangue de Boi pode aparecer em conversas, invariavelmente, em tom de piada. Mas ele é um dos grandes precursores do vinho no país. O rótulo começou a ser vendido pela Cooperativa Aurora ainda em 1950, ficando popular em sua versão de 5 litros.

No final dos anos 1890, o garrafão de vinho de 5 litros tinha virado uma realidade e item obrigatório na mesa de todas as famílias de origem italiana no sul do país, tornando o consumo do vinho no Brasil, algo popular.

A uva utilizada era uma cruza entre a Vitis Labrusca e a Vitis Vinífera. A variedade era chamada de Isabel. Foi criada nos EUA ainda em 1800. Dava uma boa qualidade, resistência, e principalmente, produtividade. Este é um vinho que ficou famoso com adição de açúcar.

Os vinhos coloniais ou de mesa são, em sua maioria, açucarados. E sim, tem adição de açúcar. Por isso, se você estiver procurando um vinho pelas suas características saudáveis e benefício a saúde, fique longe dos vinhos suaves.

Ficou com dúvidas? Pode falar aí embaixo, nos comentários!

ATUALIZAÇÃO:
A leitora Maiane Moura encontrou pra gente um vinho português que diz ser suave. Levemente adocicado, apenas com açúcar da própria uva. Encontramos aqui por R$ 22 reais a garrafa. Ótimo valor! Feito das uvas Aragonez, Castelão e Trincadeira.