Vinho e os benefícios para a saúde: polifenol e resveratrol prometem longevidade

Não é segredo para ninguém que os vinhos fazem bem para a saúde se consumidos com moderação, médicos dizem que a dose de vinho ideal para a saúde é um cálice ao dia, ou seja, uma taça pequena.

Entretanto, pode chegar a ser surpreendente o quão benéfico para a saúde de uma pessoa o vinho pode ser.

De fato, pesquisas apontam que vinhos possuem propriedades até mesmo anticancerígenas.

Mas para explica melhor esse assunto, precisamos esclarecer algumas dúvidas. Vamos lá?

Para entender melhor como o vinho pode fazer bem para a saúde, precisamos entender o que são polifenóis e o que é o resveratrol. Ingredientes mágicos do vinho que podem ajudar até no para retardar o envelhecimento.

O que são polifenóis?

Trata-se de uma classe de compostos bioativos que podem ser achados em alguns vegetais.

Esses compostos possuem com propriedades anticâncer, anti-inflamatórias e antioxidantes.

O que acontece é que os vinhos apresentam polifenóis, dentre eles, um dos mais importantes é o Resveratrol.

Ou seja, resveratrol nada mais é que um tipo de polifenol. É o resveratrol que está presente no vinho que faz bem à saúde.

Então, o que é o Resveratrol?

Este composto é um antioxidante encontrado em diferentes espécies de plantas, como uvas, mirtilos, cerejas e outras frutas de casca escura.

Também está presente no vinho tinto. O composto químico é produzido por plantas quando os agentes patogênicos, como bactérias e fungos as atacam. É uma proteção das plantas contra ações externas.

Uma fonte rica do composto é o vinho tinto. A descoberta foi feita algumas décadas atrás, e forneceu uma resposta para o paradoxo francês (a dieta mediterrânea).

Em um estudo, observou-se que os franceses viviam uma vida nada saudável e consumiam uma dieta rica em gordura.

No entanto, eles eram menos propensos a várias doenças cardíacas em comparação com o americano médio.

Muitos cientistas e leigos acreditam que o resveratrol encontrado no vinho tinto é responsável por isso.

O vinho tinto contém uma quantidade considerável do composto. A quantidade encontrada no vinho tinto é maior que a encontrada no vinho branco.

Isso ocorre porque as cascas de uva ficam com o suco por mais tempo ao fazer vinho tinto.

A casca dessas plantas é de onde a maioria do composto é extraído. No entanto, o conteúdo da substância pode variar de uma garrafa de vinho tinto para outra.

Então, qual vinho tinto seria a melhor fonte para o composto?

Bem, o conteúdo mais alto de Resveratrol é de cerca de 40mg/litro, e é extraído da Vitis rotundifolia de pele grossa.

Outros vinhos têm de 2 a 12,5 mg do composto por cada litro. A uva Pinot Noir é outra escolha de uva popular para a produção de vinhos com alto nível médio da substância.

No ambiente úmido, as plantas produzem grandes quantidades da substância para evitar ataques de fungos e outras pressões externas.

Apenas para você ter uma ideia de como o clima afeta o Resveratrol, o Pinot Noir de locais como França, Nova Zelândia e Washington apresentam mais desse composto do que o vinho de áreas mais quentes como a Califórnia ou a Austrália.

Como é que o composto encontrado no vinho tinto afeta seu corpo e qual a sua importância?

Há muitos benefícios para a saúde ao consumir este antioxidante:

  • Prevenção e tratamento do câncer
  • Proteção do coração e do cérebro contra traumas
  • Redução das doenças relacionadas com a idade
  • Luta contra o diabetes tipo II
  • Aumenta o nível de energia do corpo
  • Estende a sua vida

As críticas feitas pelos usuários deste composto são muito positivas. As pessoas estão felizes em ver os resultados que estão recebendo, seja com a perda de peso ou para a saúde corporal geral.

O uso do composto químico com exercícios regulares e uma dieta balanceada aumentará o seu humor e a energia do seu corpo. Além de blindá-lo contra doenças e envelhecimento precoce.

A idade eventualmente vencerá a todos nós. À medida que nosso corpo envelhece, sofremos uma transformação significativa na estrutura celular, hormônios, massa óssea e muscular e habilidades cognitivas.

Esta tendência é adicionada pelo potencial de doenças cardíacas, diabetes, distúrbios neurológicos como a doença de Alzheimer e câncer.

No entanto, algumas pessoas envelhecem melhor do que outras e vivem uma vida longa e saudável.

Os cientistas provaram que a dieta, o exercício, a atividade mental e os suplementos nutricionais não só podem prolongar a vida, mas também podem nos permitir levar vidas mais saudáveis.

Felizmente as pessoas aceitaram essas descobertas, basta olhar para o crescimento explosivo de alimentos saudáveis, alimentos orgânicos e suplementos nutricionais para fazer tal constatação.

Que tal adicionar uma taça de vinho ao dia como parte de seus hábitos?

Conclusão

O resveratrol foi apenas uma das grandes descobertas a favor da vida longa e mais saudável.

Imagine nos próximos anos, o que as novas descobertas podem trazer para a sua saúde e para a saúde das futuras gerações.

Presente no vinho em grande quantidade, pode ser saudável se consumido moderadamente.

Este post foi útil?

Clique em uma estrela para votar!

Nota média / 5. Contagem de votos:

Este post ainda não tem votos, seja o primeiro!

Artigos Relacionados

Comente e entre na conversa! 🙂

8 Comentários. Deixe novo

  • Boa tarde, Marcos!

    Gostaria de saber se no vinho tinto seco de mesa é encontrado o resveratrol.

    Obrigada!

    Responder
    • Ótima pergunta, Vanessa, embora perigosa! rs.

      Podemos partir do pressuposto que sim, há resveratrol ali. O resveratrol pertence a família dos estilbenos, que são fitoalexinas produzidas pelas plantas para sua defesa em resposta a infecções microbianas ou stress, tratamentos químicos e, claro – exposição à luz UV, ou seja, sol. Um dos grandes motivos pra nossa querida uva produzir o resveratrol é o sol que recebe durante o dia, portanto, as uvas Vitis Americanas passam pelo mesmo processo que as Vitis Viníferas.

      Onde nós teríamos problema em responder sua pergunta é exatamente no vinho de mesa, porque há pouquíssima pesquisa voltada pra esse assunto. Já para o vinho fino, temos algumas pesquisas que indicam fatores interessantes. Por exemplo, no Brasil, por diversos fatores, provavelmente climáticos, mas não estudados especificadamente, a concentração de resveratrol é alta.

      Realmente em muitos vinhos brasileiros encontramos mais resveratrol. O resveratrol pode ser positivo como antioxidante, mas não é fundamental na qualidade dos vinhos.

      Em uma outra postagem há um debate longo sobre o assunto, porque a produção de resveratrol não tem um único fator que a define. Não é o tipo de uva, e sim um conjunto de variáveis que vai fazer o vinho ter mais ou menos resveratrol. Por exemplo: a quantidade de sol que ele pega, o tipo de terreno, como a planta será manejada (se vai sofrer podas e como serão essas podas). Tudo isso pode influenciar em um vinho ter mais ou menos resveratrol. Por isso a sua pergunta é quase impossível de ser respondida, Vanessa.

      Sei que não entreguei a resposta que você queria, mas acho que consegui jogar uma luz no motivo pelo qual esse assunto é um pouco mais complicado do que parece. rs.

      Tem alguns debates abaixo nessa mesma postagem que vao um pouco além, ainda! haha se tiveres interesse…

      Abraço!
      Marcos Marcon.

      Responder
  • Marcos Marcon
    roque joão patuzzi
    31 ago, 2019 12:53

    Boa tarde Marcos !
    no site http://www.uvibra.com.br, traz a informação de que a média de resveratrol nos vinhos franceses é de 5,06 mg/ml e nos brasileiros é de 2,57 mg/ml e vc diz que é de 40 mg/lt ? ou seja 0,04 mg/ml ???

    Responder
    • Oi Roque!

      Não, na verdade essa potência de 40 mg/lt é de uma variedade bem específica, a Vitis rotundifolia de pele grossa. Uma uva de origem Norte Americana, pouco cultivada por lá hoje em dia. Vale lembrar que ela não é uma vitis-vinífera. No Brasil, se existisse, seria uma uva de vinho de mesa, por exemplo.

      O que é importante lembrar é que cada variedade de uva tem uma concentração diferente de polifenol e resveratrol. Pinot Noir vai ter uma concentração, Cabernet Sauvignon outra, e por aí vai. Não é só “vinho frances” ou “brasileiro” que define a concentração desses compostos. Inclusive o modo como ela foi cultivada (as famosas podas), podem fazer com que haja variação de concentração desses compostos no produto final – vinho.

      Há mais sobre essa segunda parte nesse artigo aqui: https://www.vemdauva.com.br/como-e-um-vinhedo-preco-e-qualidade-do-vinho/

      Esse particularmente é um dos meus preferidos: https://www.vemdauva.com.br/por-que-existem-vinhos-baratos-e-vinhos-caros/

      Espero ter ajudado, Roque!
      Se ficar dúvidas, pode continuar a conversa! 🙂

      Marcos.

      Responder
    • Marcos Marcon
      Osias Souza
      15 nov, 2019 12:13

      Prezado Marcos, por sua resposta, parece não ter entendido o comentário do Roque. Vc diz que há APENAS 40 mg de resveratrol por Litro (1.000 ml). Mas as informações disponíveis na NET é de que os vinhos brasileiros (que são POBRES em resveratrol, tem cerca de 2,57 MG por ml ou seja, por litro teriam 2.570 mg. Peço então que esclareça por que há tão pouco resveratrol por litro no exemplo que vc deu (embora diga que tem uma quantidade “potente”).

      Responder
      • Osias,

        Eu considero um assunto muito delicado e complexo, porque envolve vários fatores desde terroir até escolhas do enólogo. Vou tentar explicar melhor, mas talvez eu falhe, rs.

        No grão de uva, a síntese de resveratrol é principalmente iniciada na casca, na polpa quase não há resveratrol. Aqui já podemos prpesumir que alguns tipos de vinhos que tem mais contato com a casca da uva, terão mais resveratrol. Na vinificação de uvas tintas, a maceração com cascas e sementes durante a fermentação é o principal fator de encontrarmos tanto resveratrol, ao contrário das brancas, que não maturam com a casca. Pra quem conhece a produção de vinho, sabe que o enólogo pode optar por encurtar ou prolongar esse etágio de acordo com o estilo de vinho que ele quer produzir. A concentração de resveratrol aumenta durante a fermentação em presença da casca, mas esta quantidade é dependente da variedade de uva também! Ou seja algumas variedades tem mais resveratrol (que é um composto que faz parte do famoso tanino), outras nem tanto. A extração do resveratrol da casca pode ser facilitada com o etanol produzido durante o processo de fermentação, outro motivo que pode influenciar na quantidade. Quanto mais alcoolico o vinho, em teoria, mais tanino e por consequencia resveratrol ele terá.

        Uma das condições da viticultura que influenciam o conteúdo de resveratrol é a irradiação ultravioleta, ou seja, a quantidade de sol que aquela videira e fruta recebe. Ou seja, locais e modos de plantio que facilitam a iluminação do sol, terão vinhos com mais resveratrol.

        Existem estudos que comprovam que o nível de resveratrol em um vinho sofre influência de diversos processos inerentes a produção do vinho, como o sistema de manejo completo (como a uva é colhida), maceração carbônica (as prensas pneumáticas), hiperoxidação de mostos e condições de estocagem deixar a uva exposta muito tempo sem ser processada.

        Ou seja, é uma pergunta de muitas respostas exatamente pela quantidade de variantes que temos em jogo.

        Consegui jogar uma luz na sua dúvida?

        Marcos.

        por diversos fatores, vou tentar explicar aqui melhor. Os polifenóis são apenas um entre a infinidade de compostos encontrados no vinho (80% dele é água, por exemplo). E quando falamos de polifenóis, eles são substâncias químicas de composições variadas, sendo um de seus principais integrantes o famoso tanino, em que uma de suas substâncias ativas, aí sim, é o resveratrol. Porém o que acontece, os polifenóis apresentam estrutura química comum, derivada do benzeno, ligada a um grupo hidrofílico. Da forma como os anéis polifenólicos ligam-se um ao outro, eles se dividem em mais quatro famílias, sendo uma delas são os ácidos fenólicos, lignanas e estibelbenos, dos quais o resveratrol faz parte.

        Responder
  • Bom dia. Encontro no suco de uva também ou só no vinho, que contém álcool?

    Responder
    • Oi Douglas!

      Encontra, com certeza, no suco de uva também! Lembre sempre de procurar pelos sucos de uva integral e dê preferência aos com menor quantidade de açúcar possível!

      Marcos.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu