Aprenda Mais Rápido!
Receba Nossa Ficha de Avaliação
E comece agora mesmo a avaliar seus vinhos
com os amigos de forma profissional!
Baste deixar o seu e-mail abaixo e você terá
acesso instantâneo a ficha de avaliação!
Quero receber a fiicha de avaliação grátis!
Não, obrigado.

Quem nunca ouviu falar sobre o Vinho do Porto? Vamos destacar aqui os motivos que o levaram a receber o título de mais renomado e comercializado vinho português.

É fato que o vinho é oriundo da cidade do Porto e por isso recebeu esse nome, correto? Na verdade não é bem assim. Há, comecei com pegadinhas, já. E agora?

Bem, a realidade é que ele é originalmente produzido na região do Douro, mas recebeu esse nome por navegar em seus rios até chegar ao Porto, local onde era distribuído para o restante do mundo.

Do acidente, ao estrelato

Seu maior diferencial é o alto teor alcoólico, que pode chegar até 22%, e isso se deve à adição de aguardente. 

Com isso, se interrompe o processo de fermentação natural, suprimindo as leveduras que convertem o açúcar da uva em álcool.

É essa a razão do vinho do Porto ser mais doce que muitos outros.

A origem do Vinho do Porto

Como teve início esse vinho tão adorado dentro e fora de Portugal? Uma teoria afirma que ele nasceu acidentalmente, e te explicamos porquê:

No século XVII, ao sair do Porto, o vinho enfrentava um longo caminho até chegar à Inglaterra. Naquela época, o país havia adotado Portugal como seu principal fornecedor de vinhos.

Como à época os processos para melhor e maior conservação eram desconhecidas, os britânicos tiveram a ideia de acrescentar uma ínfima quantidade de aguardente vínica para, assim, ele se manter preservado.

Quanto mais alcoólico for o vinho, mais preservado ele ficará. O álcool funciona como um estabilizante e conservante. Por isso vinhos licorosos duram mais tempo depois de abertos, você sabia?

Portanto, a ideia inicial era apenas evitar que o vinho se deteriorasse rapidamente e não que fossem fortificados, mas o sabor mais forte e adocicado agradou ao paladar dos ingleses.

Assim, passou-se a adicionar aguardente durante a fermentação, enquanto ainda se encontrava doce, com aroma frutado e concentrado.

Atualmente esse continua sendo o procedimento para fabricação do Vinho do Porto.

Produção do Vinho do Porto em cortes

É comum encontrar entre os vinhos portugueses os blends (ou assemblages). Nós já falamos sobre blends e assemblages aqui, se você não leu, corre lá.

As assemblages são produzidos através da mistura de diferentes castas (tipos de uva), sendo possível encontrar dezenas de diferentes uvas na mesma garrafa de vinho do porto.

Produzir um blend nunca é um trabalho monótono e repetitivo; a busca de uma mistura única, inovadora, excepcional é o que gerou nos portugueses o ímpeto para investir nesse tipo de vinho.

O país é o segundo no mundo a ter mais opções de castas próprias, e segundo o Instituto do Vinho e da Vinha (IVV), já foram documentadas 241, dentre uvas brancas, tintas e rosadas.

O que esperar do vinho do porto?

Eles podem ser separados em duas diferentes categorias:

  1. aqueles que são envelhecidos em barris de madeira;
  2. os que são envelhecidos em garrafas.

Mas referente aos incontáveis sabores e estilos possíveis, vamos destacar aqueles que mais se destacam:

  • Porto Ruby

São os mais jovens, mais simples e por isso os mais baratos dentre os do Porto.

Apresenta sabores que remetem à frutas vermelhas silvestres e ao chocolate, que vêm da combinação de uma seleção de uvas de diferentes safras e colheitas.

Como sugere o nome, esse vinho possui uma coloração vermelha única e intensa, assim como a pedra.

  • Porto Tawny

É produzido através do mesmo tipo de uva que o Ruby, mas diferentemente deste – que passa de 2 a 3 anos em grandes barris de madeira, conservando assim sua cor e sabor intensos.

O Tawny é transferido para as pipas, que são os barris menores, e como permitem maior contato com a madeira e o ar, tem coloração e aromas mais suaves.

  • Porto Reserva

É a categoria mais rara dentro os Portos, menos de 1% do total, e que pode ser aplicada tanto ao Ruby, quanto ao Tawny.

Por envelhecer nos grandes barris de madeira de sete anos para cima, se apresenta com sabores mais complexos, representando assim uma versão melhorada e estruturada desses vinhos.

É conhecido como um dos melhores vinhos para harmonizações do Porto. Sonho de qualquer sommelière.

  • Porto Branco

Feito exclusivamente de uvas brancas, algumas até de origem indígena, podendo ser apresentado como doce ou seco.

São simples tanto no processo de fabricação quanto no envelhecimento, pois após passar um tempo nos tanques, são rapidamente engarrafados e distribuídos.

Normalmente são servidos gelados com uma dose de limão ou mesmo como refrigerantes.

  • Porto Vintage

Considerado por muitos um dos melhores vinhos do Porto da atualidade.

Se diferencia de todos os outros, pois é produzido apenas nas melhores vinícolas, com uvas do mesmo ano e rigorosamente selecionadas.

Depois de dois anos sendo envelhecido em barris de carvalho, é engarrafado e continua envelhecendo de 10 até 50 anos antes de poder ser apreciado.

Como deve ser degustado?

O Vinho do Porto deve ser mantido em local fresco, com pouco umidade, mas não excessivamente frio.

Normalmente é servido entre 15 a 20 graus Celsius, porém o Branco e o Tawny permitem ser apreciados mais gelados.

O Porto é um vinho que possui cor, aroma e textura únicos, portanto, isso sempre agrada as pessoas, além de dar a qualquer ocasião um toque de sofisticação e bom gosto.

Esse artigo te deixou com vontade de degustar um sofisticado vinho do Porto? Enquanto você enche a sua taça, coloque nos comentários sugestão de próximos temas! Ou de vinhos do porto que você bebeu e aprovou! 🙂