Postagens populares neste assunto

Não há postagens relacionadas

6 Comentários. Deixe novo

  • Marcos Marcon
    Sérgio Bandeira
    14 jul, 2019 04:14

    Olá! Vi no livro A Bíblia do Vinho de Karen McKenil que a filoxera não dá no Chile porque o terreno tem muito ferro (sulfato ferroso) e não sobre a inundação devido ao derretimento do gelo da Cordilheira dos Andes. Outra coisa: Por que num enxerto com a labrusca (cavalo) dá uma produção 5 vezes maior do que a videira quando em pé-franco ? E qual a interferência do tamanho da folha sobre a uva (matéria prima do vinho) se o que importa é a “mineralização” do terreno junto com outros fatores do terroir ? Tenho seis livros sobre o mundo dos Vinhos e não li nada a esse respeito. Grato e aguardo
    14jul2019 – Recife/PE

    Responder
    • Oi Sérgio! Vavmos lá, várias perguntas em uma. rs.

      1) De fato, a filoxera não não tinha chance no Chile exatamente pelas condições de terreno (tipo de solo) e irrigação. São os dois fatores mais difundidos pela literatura ainda hoje.

      2) Quanto ao enxerto com a labrusca produzir mais, da-se pelo fato de que esses porta enxertos estão acostumados a ter um fluxo maior de nutrientes, afinal de contas, a Labrusca dá bagos bem mais volumosos que as vitis vinifera, esses caules estão preparados para levar bem mais nutrientes até as gemas, frutos e folhas. Então precisou-se adaptar os clones exatos para cada tipo de enxerto, afinal de contas, de nada adianta uma uva enxertada produzindo cachos grandes, porém de pouca concentração de nutrientes e muita água.

      3) Essa pergunta tem muitas variáveis:

      – Já o tamanho da folha influencia por ter uma maior área de captação de sol, que vai influenciar na fotossíntese, fazendo com que os fruto recebam menos ou mais nutrientes que o necessário.

      – Além disso, o que a planta suga de nutrientes da terra serve para nutrir tanto os frutos quanto folhas, logo, se tivermos muitas folhas, elas podem captar os nutrientes necessários para os frutos. É por isso que em um vinhedo em época de brotação é necessário fazer, comumente, podas preventivas, para que os nutrientes concentrem-se nos frutos e não em folhas.

      – Também é válido lembrar que quanto mais folhas, menos sol atinge os bagos e o chão – um elemento necessário para um vinhedo de produção de qualidade. Muita sombra irá criar o que chamamos de “microclima” diferente de um vinhedo mais espaçado e com mais sol atingindo o chão. Enfim, a quantidade e a distribuição das folhas no espaço modificam o microclima no interior do dossel vegetativo e isso influencia diretamente no micro-clima, que influenciará na produção de uma boa uva. Nosso artigo sobre Terroir disseca melhor esse assunto, acho que você irá gostar: https://www.vemdauva.com.br/o-que-e-terroir/

      Pra complementar a sua leitura, indico também nosso artigo sobre sistemas de condução que explora também a questão do sol em cada tipo de sistema de condução e como folhas e luz solar influencia no cultivo de uvas excelentes para vinhos excelentes: https://www.vemdauva.com.br/como-e-um-vinhedo-preco-e-qualidade-do-vinho/

      Quanto a uma boa indicação de livro para leitura que vai te ajudar muito nessas suas questões, indico algo não voltado ao vinho, mas ao plantio de vinhas. O melhor, pra mim, e utilizado nos cursos de enologia aqui no Brasil é o do Eduardo Giovannini – Produção de Uvas para Vinhos e Suco de Mesa: https://www.estantevirtual.com.br/livros/eduardo-giovannini/producao-de-uvas-para-vinho-suco-e-mesa/999983442

      Eu acredito que pra entender essa parte do vinho, nós precisamos desfocar um pouco do vinho em si e partir para entender um pouco de viticultura. Essa é a base principal de todo bom vinho. Já dizia o sábio: “bendita seja a mão que planta e colhe a uva”. Eu acredito fielmente que um bom vinho nasce no vinhedo, por isso acho importante estudar um pouco do plantio de uvas pra entender melhor essa que é uma questão bastante ampla.

      Desculpa a demora em te responder, mas sabia que teria que o fazer com tempo 🙂
      Sérgio, espero ter conseguido esclarecer um pouco. Escrevi meio correndo, então, se quiseres que eu esclareça melhor algum ponto, só perguntar de novo! 🙂

      Responder
  • Marcos Marcon
    ana paula porcel
    9 Maio, 2019 09:55

    NA VERDADE TODA ESSA HISTÓRIA DE CERTA FORMA DEMOSNTRA A NECESSIDADE DE UNIAO ENTRE OS CONTINETES E QUE NAO SOMOS UNIPONTENTES, UMA HORA IREMOS PRECISAR DO NOSSO VIZINHO… E QUE HOUVE SIM UMA IRONIA DO DESTINO, OU FATALIDADE CADA UM TERÁ SEU PONTO DE VISTA, MAS A HISTÓRIA EM SI É FASCINANTE

    Responder
    • Marcos Marcon
      Marcos Marcon
      13 Maio, 2019 02:37

      Quando estudei sobre a Filoxera tive exatamente o mesmo pensamento que o seu, tanto que foi um dos primeiros artigos do Vem da Uva, é um história que fascina, não? Concordo com você, no fim, somos todos um.

      Responder
  • Me lembrou quando estudei enologia no curso de gastronomia …amava a matéria.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu
Cadastre-se e Aprenda
Sobre Vinho Grátis!
Toda semana você recebe as melhores aulas e postagens de forma gratuí­ta no seu e-mail! Sem pagar nada por isso.
ASSINAR
Aproveite! Em breve nossos cursos serão exclusivos para assinantes!
close-link