Aprenda Mais Rápido!
Ficha de Avaliação de Vinhos
Receba agora nossa ficha e comece a avaliar seus
vinhos com os amigos de forma profissional!
Baixe agora. É grátis!
Quero receber a ficha de avaliação grátis!
Não, obrigado.

Você gostaria de entender porque giramos a taça logo após servir o vinho? Claro que sim. Por isso você está lendo esse texto.

Provavelmente você até faz o movimento, mas não entende o que acontece no vinho, nem porque você está fazendo aquilo.

Não tem problema. Nesse artigo a gente vai entender exatamente o que acontece com o seu vinho quando você gira a taça.

Além disso, nós vamos te ensinar dois métodos para você aprender como girar a taça sem manchar aquela sua roupa branca, nem falar lambança na mesa de casa ou aquela sua degustação com os amigos.

Quando você gira a taça, algo muito importante acontece com seu vinho. Você adiciona mais oxigênio ao líquido.

Então, por que mexer a taça de vinho?

  • Girar a taça faz com que o vinho se agite, causando a evaporação de alguns compostos, como o álcool. Alguns elementos com maior volatilidade (fácil de voar, sair da taça!) são dissipados. Como exemplo, temos os sulfitos, adicionados ao vinho como conservantes. Como digo, o álcool também pode evaporar, dando uma melhor apresentação aos aromas do vinho.
  • Girando a taça você permite que o vinho respire. Girar a taça faz com que o oxigênio se agregue a compostos, aparando arestas e dando mais suavidade ao mesmo. É por este motivo que vinhos de maior corpo, ou que estiveram muito tempo guardado, podem se beneficiar de uma aeração em um decantador, o oxigênio ajuda a “abrir o vinho”, ou seja, mostrar melhor seus aromas.
  • Em terceiro lugar, vem a parte mais importante. O movimento de girar a taça ativa os ésteres. A maior parte dos aromas do vinho são resultantes dos ésteres, substâncias voláteis formadas através das reações dos ácidos orgânicos com os álcoois. Nessas reações, os ácidos são esterificados pelos álcoois, principalmente pelo álcool etílico – aquele com maior presença no vinho.

“Girar a taça é como fazer uma aeração em miniatura”, diz Bruno Cidade Neves, Técnico em Vitivinicultura e Consultor Técnico do Vem da Uva.

Porque o cristal é recomendado para vinho?

Você nunca imaginou, mas o movimento de girar a taça é bem mais efetivo em uma taça de cristal do que em uma taça de vidro.

Isso acontece porque a superfície do cristal é mais porosa que o vidro, embora não seja identificável a olho nu.

Isso faz com que o líquido no interior da taça tenha mais fricção, maior atrito com a parede do cristal e se agite melhor do que em uma taça de vidro.

Seja girar o vinho no copo ou na taça, quanto devo servir?

A taça é de enorme importância para você conseguir girar o seu vinho para que ele libere mais aromas, o mesmo pode ser dito da quantidade de vinho servida na taça.

A taça não deve conter mais que 1/3 do potencial da taça, do contrário vai ficar difícil você girar a taça sem se perder no líquido.

Além disso, ter um espaço vazio de 2/3 da taça vai permitir que os aromas fiquem ‘presos’ nesse espaço ‘vazio’, até que você os sinta, levando a taça até bem próximo do nariz.

Dica: use sempre a mesma taça para degustar seus vinhos, caso contrário você nunca terá avaliado o aroma de cada vinho da mesma maneira. Taças diferentes, avaliações diferentes. Você pode escolher uma taça ISO para isso.

Quando analisar o aroma do vinho?

Você deve primeiro sentir o cheiro do vinho antes de girar, assim você pode comparar com a magia do aroma depois que você girar. Chamamos esse primeiro estágio de “aroma franco”, sem agitação.

Não deixe de conferir mais dicas, e aprender mais sobre vinho com nossos infográficos, além de que sinta-se a vontade em mostrar o que aprendeu para seus amigos. Com isso, compartilhe a vontade e não deixe de comentar, opinar sobre sugestões e indicações de novos temas.